Conselhos da Bispa Sonia para um Mind7 +QV

No último dia 28 de setembro, milhares de mulheres se reuniram na Renascer Arena – antigo Ginásio da Portuguesa – para participaram do Congresso Internacional +QV Mind7.

 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão e área interna

 

Depois de um debate esclarecedor sobre violência contra a mulher e dos louvores do Renascer Praise, a Bispa Sonia Hernandes trouxe uma mensagem inspiradora, com base no tema “Quebrando o Mind7 Fixo para Assumir um Mind7 de Expansão”.

 

Acompanhe, a seguir, os principais trechos da palestra:

 

2 Reis 4.8 a 37: “Certo dia, passou Eliseu por Suném, onde se achava uma mulher rica, a qual o constrangeu a comer pão. Daí, todas as vezes que passava por lá, entrava para comer. Ela disse a seu marido: Vejo que este que passa sempre por nós é santo homem de Deus. Façamos-lhe, pois, em cima, um pequeno quarto, obra de pedreiro, e ponhamos-lhe nele uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; quando ele vier à nossa casa, retirar-se-á para ali.

 

Um dia, vindo ele para ali, retirou-se para o quarto e se deitou. Então, disse ao seu moço Geazi: Chama esta sunamita. Chamando-a ele, ela se pôs diante do profeta. Este dissera ao seu moço: Dize-lhe: Eis que tu nos tens tratado com muita abnegação; que se há de fazer por ti? Haverá alguma coisa de que se fale a teu favor ao rei ou ao comandante do exército? Ela respondeu: Habito no meio do meu povo. Então, disse o profeta: Que se há de fazer por ela? Geazi respondeu: Ora, ela não tem filho, e seu marido é velho. Disse Eliseu: Chama-a. Chamando-a ele, ela se pôs à porta.

 

Disse-lhe o profeta: Por este tempo, daqui a um ano, abraçarás um filho. Ela disse: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas à tua serva. Concebeu a mulher e deu à luz um filho, no tempo determinado, quando fez um ano, segundo Eliseu lhe dissera. Tendo crescido o menino, saiu, certo dia, a ter com seu pai, que estava com os segadores. Disse a seu pai: Ai! A minha cabeça! Então, o pai disse ao seu moço: Leva-o a sua mãe. Ele o tomou e o levou a sua mãe, sobre cujos joelhos ficou sentado até ao meio-dia, e morreu. Subiu ela e o deitou sobre a cama do homem de Deus; fechou a porta e saiu. Chamou a seu marido e lhe disse: Manda-me um dos moços e uma das jumentas, para que eu corra ao homem de Deus e volte.

 

Perguntou ele: Por que vais a ele hoje? Não é dia de Festa da Lua Nova nem sábado. Ela disse: Não faz mal. Então, fez ela albardar a jumenta e disse ao moço: Guia e anda, não te detenhas no caminhar, senão quando eu to disser. Partiu ela, pois, e foi ter com o homem de Deus, ao monte Carmelo. Vendo-a de longe o homem de Deus, disse a Geazi, seu moço: Eis aí a sunamita; corre ao seu encontro e dize-lhe: Vai tudo bem contigo, com teu marido, com o menino? Ela respondeu: Tudo bem.

 

Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, abraçou-lhe os pés. Então, se chegou Geazi para arrancá-la; mas o homem de Deus lhe disse: Deixa-a, porque a sua alma está em amargura, e o Senhor mo encobriu e não mo manifestou. Disse ela: Pedi eu a meu senhor algum filho? Não disse eu: Não me enganes? Disse o profeta a Geazi: Cinge os lombos, toma o meu bordão contigo e vai. Se encontrares alguém, não o saúdes, e, se alguém te saudar, não lhe respondas; põe o meu bordão sobre o rosto do menino. Porém disse a mãe do menino: Tão certo como vive o Senhor e vive a tua alma, não te deixarei. Então, ele se levantou e a seguiu. Geazi passou adiante deles e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não houve nele voz nem sinal de vida; então, voltou a encontrar-se com Eliseu, e lhe deu aviso, e disse: O menino não despertou.

 

Tendo o profeta chegado à casa, eis que o menino estava morto sobre a cama. Então, entrou, fechou a porta sobre eles ambos e orou ao Senhor. Subiu à cama, deitou-se sobre o menino e, pondo a sua boca sobre a boca dele, os seus olhos sobre os olhos dele e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. Então, se levantou, e andou no quarto uma vez de lá para cá, e tornou a subir, e se estendeu sobre o menino; este espirrou sete vezes e abriu os olhos. Então, chamou a Geazi e disse: Chama a sunamita. Ele a chamou, e, apresentando-se ela ao profeta, este lhe disse: Toma o teu filho. Ela entrou, lançou-se aos pés dele e prostrou-se em terra; tomou o seu filho e saiu.”

 

A mulher sunamita, a qual o texto se refere, não tinha dificuldades em prestar cultos a Deus ou de sentir Sua presença na vida do profeta Eliseu. Tanto que, para que aquela presença também se manifestasse em sua casa, construiu um quarto para ele.

 

Aquela mulher sentia a presença do Senhor e entregava ofertas liberalmente, mas tinha dificuldades para acreditar n’Ele! Podemos concluir que prestar cultos é diferente de ter fé!

 

O sonho daquela mulher era ter um filho. Quando o profeta perguntou se ela queria algo, ela disse que não, que estava tudo bem. Mas o Senhor o havia enviado para abençoá-la. Por que ela disse que não precisava de mais nada se carregava dentro de si um grande sonho? Na verdade, ela já havia se conformado com sua realidade. Tinha bloqueios!

 

O profeta, então, libera uma palavra: “Daqui um ano, você estará com um filho nos braços!”. E ela disse “não”, porque sua mente estava cauterizada! Ela tinha o pensamento fixo de que jamais poderia ser mãe.

 

O que é mind7? É a configuração e programação da nossa mente. É o que molda nossas crenças em relação ao nosso desempenho e, consequentemente, aos nossos resultados.

 

Saber é diferente de acreditar... O que nos leva à prática é a nossa crença!

 

Obviamente, existem princípios que devem ser fixos em nossas vidas, como os preceitos da Palavra de Deus. Mas precisamos ter consciência de que o Senhor não nos criou para fundamentamos nossas vidas em crenças limitantes, mas em crenças libertadoras. Deus tem um plano para cada uma de nós! Mas, para vivê-lo, precisamos ter uma mente livre!

 

Salmos 139.16: “Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.”

 

Isaías 54.2: “Alarga o espaço da tua tenda, estende as cordas, reforça as estacas.”

 

Hoje, você alargará as estacas do seu entendimento, desenvolvendo um mind7 de crescimento, ou seja, uma mente mais que vencedora, porque Deus tem planos superiores para a sua vida!

 

Ter uma mente mais que vencedora é acreditar que, pelo nosso esforço, podemos nos tornar habilidosas em qualquer situação. É ser resiliente, ou seja, ser capaz de lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas. É ser resistente, forte e perseverante!

 

A sunamita tinha a mente bloqueada, e isso poderia impedi-la de viver o milagre. Antes de fechar qualquer questão, precisamos buscar saber qual é a vontade de Deus! A última palavra é a d’Ele!

 

Jeremias 6.14: “Eles tratam da ferida do meu povo como se não fosse grave. ‘Shalom, paz. Haverá paz!’, é o que costumam dizer, quando, em verdade, não há paz alguma nem hoje nem amanhã.”

 

O problema de criarmos barreiras mentais é que elas nos impedem de ser curadas. Dor é sinal de necessidade de cura! Precisamos expor!

 

Por que ela criou barreiras? Por medo de não sofrer... Mas ela já estava sofrendo mesmo! Sofrimento é dor inútil. Transforme este sofrimento em um sacrifício a Deus!  

 

Por que ela criou barreiras? Pois já havia se conformado... Afinal a “culpa” não era dela, mas do marido! Muitas vezes, preferimos terceirizar a responsabilidade a assumir as rédeas de nossas vidas e tomarmos uma atitude! Aquela situação tinha que ser entregue nas mãos do Senhor!

 

Os pensamentos fixos levam à autosabotagem! Ser livre é uma questão de escolha! A questão é: Você quer? Então, tome atitudes assertivas! A imaturidade e a incredulidade nos levam à procrastinação!

 

Isaías 1.19: “Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra”

 

Os cenários mudaram quando a mentalidade daquela mulher mudou, quando as atitudes dela mudaram.

 

Depois de um ano, conforme a palavra liberada pelo profeta, ela teve um filho. O que isso significa? Que ela teve três meses de tentativa! Aquela mulher realmente precisava colocar sua fé em prática!

 

Mateus 11.12: “Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que se esforçam se apoderam dele.”

 

Provérbios 14.1: “A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba.”

 

A mulher sábia edifica o lugar da promessa, a tola o destrói!

 

Precisamos nos abrir para que a palavra frutifique e gere testemunhos!

                                                                                                              

Filipenses 4.13: “Tudo posso naquele que me fortalece.”

 

Salmos 23.1: “O Senhor é o meu pastor, e nada me faltará.”

 

Faça desta palavra a sua verdade! Não importam as circunstâncias. Nele, você pode todas as coisas!

 

Tenha consciência de que haverá adversidades e que elas trarão medo. Mas você não pode permitir que ele molde os seus comportamentos. Permaneça no Senhor!

 

João 15.5: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”

 

2 Timóteo 1.7: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de domínio próprio.”

 

Salmos 112.7: “Não temerá más notícias; seu coração está firme, confiante no Senhor.”

 

A mulher sunamita teve um filho. Mas, quando chegou a certa idade, ele acabou falecendo por conta de uma enfermidade. Ao contrário do que seria o natural, aquela mulher não se deprimiu, não se rebelou e não se desesperou. Antes, mais uma vez, creu na palavra profética!

 

Quando tudo sair do controle, não saia do sério... Não surte, não se desespere! Não se relacione mais com o problema, mas com a solução!

 

Do quarto que ela construiu para o profeta, surgiu mais um milagre! Aquele menino voltou à vida!

 

Seja movida pela fé, não pelas circunstâncias! Deixe para trás tudo o que te impede de acreditar e caminhe em direção às promessas do Senhor.

 

 

 

Redação